Isso é Bullying? - Fique por dentro - Colégio Fractal

Fique por dentro

Isso é Bullying?

Publicado em : 06/11/2018

 

Muito tem-se ouvido falar em bullying e uma das questões é justamente essa...quando o “muito” banaliza o termo e para “tudo” dá-se o nome de bullying. Sendo assim vamos por partes, partindo do conceito da palavra.

O bullying é entendido como um comportamento agressivo que ocorre entre estudantes, numa relação desigual de poder. Fenômeno considerado frequente, compreende atos repetidos e intencionais de opressão, humilhação, discriminação, tirania, agressão e dominação de pessoas ou grupos, sem motivação evidente. A identificação do bullying é feita na persistência do comportamento hostil, repulsivo e intimidador contra a mesma pessoa ou grupo (FANTE, 2005; BAPTISTA; OSORIO, 2011).

Portanto, uma ofensa pontual, um xingamento numa partida de futebol por exemplo, não pode ser caracterizado bullying. Pode ser falta de educação, baixa tolerância à frustração ou algo parecido, mas não bullying por não ser um comportamento repetitivo ou com o intuito de autodefesa.

Interessante ressaltar a fragilidade emocional que se encontram nossas crianças e adolescentes. A falta de limites/regras numa etapa tão importante na vida de todos pode desenvolver um sentimento de poder, de autonomia em fazer o que se tem vontade, não levando em consideração o outro. Quando um colega não representa nenhum tipo de valor existencial para o adolescente, este se sente “autorizado” a fazer e falar o que se tem vontade, diminuindo o outro para se sentir exaltado.

A “vítima”, por sua vez, apresenta uma fragilidade inversa à descrita anteriormente. Com baixa autoestima, medo, ansiedade ou qualquer sentimento que favoreça seu retraimento, se sente incapaz de buscar ajuda nessa situação humilhante dando cada vez mais autonomia ao seu algoz. Sem romper essa relação doentia, suas consequências vão tomando proporções maiores. Baixa autoestima cada vez mais acentuada, dificuldade social, crises de ansiedade podendo chegar a um pânico, depressão ou até mesmo automutilamento.

O bullying pode acontecer de forma direta, representada por agressões físicas e verbais, mais frequente entre os meninos. As meninas utilizam formas mais sutis e as agressões ficam no nível das calúnias, difamação, indiferença e exclusão de grupos, ações que configuram o bullying indireto (BAPTISTA; Osorio, 2011; LOPES NETO, 2005).

Importante que os familiares, escola e amigos comuniquem à um responsável qualquer mudança de comportamento, mesmo que aparentemente banal, notada no adolescente (tanto do agressor quanto do agredido). Desta forma, quanto mais precoce for a ajuda, mais simples serão as intervenções e melhores serão os resultados.

Paula Maria de Castro – Psicóloga (CRP: 09/3610); Especialista em Psicologia Clínica e Organizacional; Cursos Avançados em Diagnóstico e Intervenção dos Transtornos do Neurodesenvolvimento; e Psicologia Escolar e da Educação.

Como Ajudar os Filhos na Tarefa de Casa

Como Ajudar os Filhos na Tarefa de Casa

 10/05/2018

Separamos algumas dicas importantes para você ajudar o seu filho na tarefa de casa de forma correta, sem estresse e discussões, aumentando o interesse dele pelos deveres. A tarefa de casa é necessária para fixar na mente da criança os conteúdos que foram abordados durante as aulas na escola. Porém, em muitos casos, ela é motivo de brigas e discussões entre pais e filhos, para a sua realização correta e a tempo. [...]

Como ajudar a criança a não usar mais fralda

Como ajudar a criança a não usar mais fralda

 18/04/2018

Você está tentando tirar a fralda do seu filho, mas ainda não conseguiu ou não sabe por onde começar? Separamos aqui algumas dicas para te ajudar nessa tarefa! Os especialistas recomendam que a fralda não seja tirada antes dos 2 anos de idade, pois a criança ainda não está preparada. Só a partir do segundo ano de vida o bebê sai da fase oral e entra na fase anal, em que se dá conta de que produz xixi e [...]

Como ser feliz na escola

Como ser feliz na escola

 01/08/2017

O fortalecimento do vínculo de crianças e adolescentes com a escola é fundamental devido às possibilidades de intervenção e benefícios que um ambiente escolar seguro, acolhedor, afetivo e estimulante pode proporcionar.